Companhia Ituana de Saneamento conclui Emissário Tapera Grande no Pirapitingui - CIS
17767
post-template-default,single,single-post,postid-17767,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.4.0,vc_responsive
 

Companhia Ituana de Saneamento conclui Emissário Tapera Grande no Pirapitingui

Com 2,2 quilômetros de extensão, novo equipamento integra a coleta de toda a rede de esgoto nos bairros da região e elimina históricos problemas de vazamentos na Bacia do Córrego Tapera Grande.

A CIS – Companhia Ituana de Saneamento apresenta no dia 29 de junho de 2020 um novo emissário de esgoto sanitário da Bacia do Córrego Tapera Grande, que cruza os bairros do Pirapitingui. A cerimônia de inauguração da obra será transmitida às 14h no Facebook da autarquia. Este equipamento, batizado de Emissário Tapera Grande, integra a rede de esgoto destinada a conduzir os materiais recolhidos na região até o local de lançamento. Com 2,2 quilômetros de extensão, a obra vai reduzir históricos problemas de vazamentos veiculados ao antigo emissário. Foram investidos aproximadamente R$ 1,3 milhões.

“Cuidar do saneamento de uma cidade exige atenção e cuidado. E a CIS tem cumprido o seu papel, não somente para resolver a questão da água em Itu, como também para sanar problemas nas tubulações de esgoto”, pontua o prefeito de Itu, Guilherme Gazzola. “A falta de investimentos em manutenções e novas redes em outros anos são superadas agora com o trabalho sério da Companhia Ituana de Saneamento”.

De acordo com Vincent Menu, superintendente da CIS, o Emissário Tapera Grande substitui trecho problemático do antigo emissário existente no local. A tubulação é feita com material de melhor qualidade, seguindo os padrões já adotados pela companhia desde o início de sua gestão em fevereiro de 2017. “Após elevado número de reclamações feitas por munícipes que residem ou visitam estabelecimentos próximos do córrego Tapera Grande, pleiteamos os recursos para executarmos a obra que sana os problemas de vazamento e reduz danos ambientais na região. A melhor solução para este entrave seria a construção de um novo emissário de esgoto”, conclui.