Informe CIS: Abastecimento de água em Itu e nível dos mananciais da cidade - CIS
19739
post-template-default,single,single-post,postid-19739,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive
 

Informe CIS: Abastecimento de água em Itu e nível dos mananciais da cidade

Neste momento, não há previsão para adoção de um novo rodízio de abastecimento em toda a cidade de Itu, contudo, a CIS reforça que a colaboração da população é fundamental na economia de água.

A CIS – Companhia Ituana de Saneamento informa a situação atual dos mananciais de Itu e divulga dados importantes sobre o abastecimento de água na cidade.

Nota-se redução do volume de chuvas na região com a chegada do período de estiagem. Em abril, o volume não atingiu expectativas ficando em apenas 9,4 mm. Em 2021, o índice foi de 29,4 mm. Já as temperaturas seguem elevadas para este início de outono. Os fatores refletem diretamente no consumo de água, que aumentou de forma substancial. Diante deste cenário, o nível de operação dos mananciais que abastecem a cidade foi reduzido. Veja os dados por região, com considerações importantes sobre o impacto de abastecimento.

Região Central (ETA Rancho Grande)
• Bacia do Mombaça (captação que não seca): 100%
• Bacia do Taquaral / Pirapitingui: 20%
• Bacia do Gomes: 25%
• Bacia do São José: 50%
• Bacia do Braiaiá [represa com início de reservação]:25%

Com consumo de água acima da média e redução de vazão enquanto são feitas melhorias e manutenções no Sistema Mombaça, as chamadas “pontas de rede” – últimos locais da rede de distribuição que recebem água – tiveram oscilações de abastecimento.  Colaboradores da CIS fazem ajustes no sistema de distribuição para que todos os bairros recebam água com pressão. Ou seja, durante o dia são feitas manobras para direcionar água de um bairro para o outro.

Outra situação pontual, divulgada desde março deste ano, envolve as obras da Nova Represa Braiaiá – já em reta final. Enquanto a barragem de 10 metros de altura é finalizada, a represa segue recebendo água. Serão mais de 40 milhões de litros de água bruta para captação. O local também possui um sistema de poços que deve ser reativado em até 20 dias, melhorando assim o abastecimento dos bairros Santa Laura, Residencial Primavera, Villagios de Itália e Campos de Santo Antônio 1.

Região Central (ETA Itaim)
• Bacia do Itaim: 15%

Os bairros Potiguara, Chácaras Reunidas Ipês, Jd. Oliveira, Bom Viver, Santa Inês, Chácaras Florida, Vila Real R1, Uderico Ferrari e Itaim Guaçu são os que mais dependem do abastecimento da bacia do Itaim – que neste momento tem o pior índice de reservação. O local não pode ser desassoreado, pois está sobre uma laje de varvito, contudo tem recebido melhorias constantes como recuperação de matas ciliares e nascentes e limpeza. Além disso, a CIS inaugurou na região um novo reservatório de água tratada com o dobro da capacidade na comparação com o anterior, que permite mais segurança na distribuição de água. Outras alternativas para esta bacia são avaliadas, como a interligação de um novo sistema de poços.

Região do Pirapitingui (ETA Portal do Éden / ETA Pirapitingui)

• Bacia do Pirajibu (captação que não seca): 100%
• Bacia do São Miguel / Varejão: 25%
• Bacia do São Miguel: 25%

Situação do abastecimento normal, com distribuição regular em todos os bairros. Problemas pontuais no bairro Portal do Éden foram solucionados com a conclusão das manutenções realizadas na captação de água bruta e estação de tratamento. Também foi concluída obra de adutora de água tratada que interliga os bairros Cidade Nova e Portal do Éden, garantindo mais segurança de abastecimento, mesmo com manutenções em andamento.  

Colaboração – Neste momento, não há previsão para adoção de um novo rodízio de abastecimento em toda a cidade de Itu, contudo, a CIS reforça que a colaboração da população é fundamental na economia de água. Desperdícios não serão tolerados e multas seguem em vigor.