Ligações clandestinas de esgoto atingem 37% de 2880 imóveis em Itu - CIS
17516
post-template-default,single,single-post,postid-17516,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.2.0,vc_responsive
 

Ligações clandestinas de esgoto atingem 37% de 2880 imóveis em Itu

Cinco dos bairros com mais reclamações de vazamentos de esgoto foram vistoriados em 2019. Portal do Éden e São Judas Tadeu possuem índices alarmantes, pois quase metade das construções estão em situação irregular.  

A Prefeitura de Itu e a CIS – Companhia Ituana de Saneamento fiscalizaram ligações de esgoto clandestinas em imóveis de cinco bairros da cidade durante 2019. Foram vistoriados 2880 imóveis nos bairros Portal do Éden, Vila Nova, Vila Leis, São Judas Tadeu (Pombal) e Vila Santa Rita. Do total, 1038 estavam em situação irregular, ou seja, 37% não estavam em conformidade com o Decreto Estadual 5.916/75, artigo 13, que diz ser expressamente proibida à introdução direta ou indireta de águas pluviais nos ramais de esgotos sanitários.

As construções dos bairros Portal do Éden e São Judas Tadeu possuem os índices mais alarmantes. Das 1084 vistorias realizadas no Portal do Éden, 540 estavam em situação irregular, ou seja, 49,8%. No bairro São Judas, o índice de irregularidade atingiu 43,34% dos imóveis. Vila Leis, Vila Nova e Vila Santa Rita estão com 35,29%, 25,25% e 6% de construções com ligações clandestinas, respectivamente.

“Escolhemos os bairros que registram mais ocorrências referentes ao vazamento ou extravasamento de esgoto nas ruas. Por mais que nossa equipe faça periodicamente a manutenção e desobstrução das tubulações, os números indicam que a população também precisa fazer a sua parte. Em especial nos bairros Portal do Éden e São Judas Tadeu, onde quase metade dos imóveis não cumprem a lei”, pontua o superintendente da CIS, Vincent Menu. “Durante o período de chuvas, registramos mais problemas de entupimento e vazamento de esgoto. Por isso o serviço de fiscalização é tão necessário para redução de danos e o munícipe precisa cumprir o que está na lei”.

Menu explica que no primeiro contato com o responsável pelo imóvel irregular, os fiscais da prefeitura fazem orientações e destacam a importância de se fazer ligações independentes: uma para o esgoto e outra apenas para a água da chuva com destino para as guias das calçadas. Além disso, os proprietários dos imóveis irregulares são informados de que estão cometendo uma infração grave e que devem fazer os ajustes necessários para evitar multas.

Em 2020, a fiscalização será iniciada pelo bairro São Luís.