Mananciais de Itu atingem 70% de capacidade e CIS acelera obras para melhorar captações de água bruta - CIS
16561
post-template-default,single,single-post,postid-16561,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Mananciais de Itu atingem 70% de capacidade e CIS acelera obras para melhorar captações de água bruta

Região abastecida pelo Itaim é a que mais preocupa já que este manancial opera com o menor índice de reserva: 35%.

A Companhia Ituana de Saneamento – CIS informa que o monitoramento dos mananciais feito durante o último feriado prolongado indica que os reservatórios de água bruta que abastecem a cidade de Itu atingiram 70% de sua capacidade. As Bacias São Miguel e São Miguel/Varejão, que abastecem a região do Pirapitingui, operam com 75% e 80%, respectivamente. No abastecimento da região central, atuam as bacias do São José e Braiaiá, com 90%; Taquaral/Pirapitingui, com 75%; Gomes com 50% e Itaim, com 35%. O inverno já começou seco, com temperaturas elevadas e sem registro ou previsões de chuvas até o momento, segundo a autarquia. Nota-se, portanto, que as barragens de captação estão operando abaixo de sua capacidade.

O superintendente da CIS, Vincent Menu, reforça mais uma vez a importância do consumo consciente de água durante o período de estiagem, que segue até o final de setembro. “Apesar de estarmos vivenciando a pior seca na região desde 1961, ainda temos água para abastecer a população. Em 2014, auge da crise hídrica, a cidade já enfrentava o racionamento no mesmo período. Isso demonstra a melhoria da gestão e para mantermos nossos serviços de forma satisfatória, é essencial economizarmos em cada residência 30% do consumo de água”, ressalta.

O apelo do superintendente da CIS é feito no mesmo momento que Itu vislumbra a maior frente de obras em saneamento dos últimos 10 anos. “Estamos viabilizando a construção de duas novas captações de água bruta; realizando limpezas e manutenções programadas em todas as Estações de Tratamento e redes de distribuição e vamos finalizar a Adutora Mombaça até o final de julho. Ainda temos mais ações previstas como desassoreamentos e aumento na vazão de represas, que serão divulgadas o quanto antes. Enquanto fazemos a nossa parte, com trabalho, pedimos para que a população nos ajude, promovendo o consumo consciente de água e denunciando desperdícios”, finaliza Menu, pontuando que a fiscalização segue nas ruas, de forma intensificada.