Prefeitura de Itu e CIS assinam contrato para obra de setorização que vai resolver questão da água na Vila Ianni - CIS
17406
post-template-default,single,single-post,postid-17406,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.1,vc_responsive
 

Prefeitura de Itu e CIS assinam contrato para obra de setorização que vai resolver questão da água na Vila Ianni

Empresa de Bauru (SP) venceu o processo de licitação e vai executar a primeira etapa da obra que inclui adutora de 2,7 quilômetros e novas redes de distribuição.

Após meses de negociações e execução de processos licitatórios, a Prefeitura de Itu e a CIS – Companhia Ituana de Saneamento assinaram nesta quarta-feira (04/12) o contrato para obra de setorização que vai resolver questão da água na Vila Ianni. A empresa J. Nassif Engenharia Ltda., de Bauru (SP), será a responsável pela primeira etapa dos trabalhos que incluem a construção de nova adutora com 2,7 quilômetros a partir do reservatório Vila Rica, a instalação de novas redes e também substituição de tubulações antigas. O início das obras é previsto para a primeira quinzena de janeiro de 2020 e o custo estimado é de R$ 2,7 milhões.

De acordo com a CIS, a setorização da Vila Ianni vai beneficiar 21 mil munícipes. As melhorias envolvem oito bairros de Itu: Vila Ianni, Vila Mariah, Chácaras Primavera, Vila Progresso, Portal de Itu, Vila Bandeirantes, Jardim Padre Bento, Vila Padre Bento.

O prefeito de Itu, Guilherme Gazzola, comemora esta conquista inédita para a cidade de Itu. “São anos de reclamações sobre falta de água e falhas de abastecimento na região da Vila Ianni. Nenhuma gestão foi capaz de olhar para estes munícipes com mais atenção. Hoje, com o trabalho da CIS, apresentamos mais uma solução definitiva para um problema histórico na cidade de Itu”, afirma. 

O superintendente da autarquia municipal, Vincent Menu, explica que a setorização da Vila Ianni é apenas a primeira etapa de um projeto mais ambicioso. “Estamos de olho no crescimento demográfico da região. Por isso, ainda estão previstas a partir de 2021 a construção de um novo reservatório de água tratada com capacidade para dois milhões de litros e a instalação de uma bomba na rede com vazão de 150 litros de água por segundo”.