Mesmo com pressurização reduzida, consumo de água no Distrito do Pirapitingui cresce 25% - CIS
Mesmo com pressurização reduzida, consumo de água no Distrito do Pirapitingui cresce 25% - CIS
16615
post-template-default,single,single-post,postid-16615,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Mesmo com pressurização reduzida, consumo de água no Distrito do Pirapitingui cresce 25%

Média de 5,7 milhões de litros de água por dia passou para sete milhões nos dias 21 e 22 de julho. CIS reforça que sem a ajuda da população, o racionamento será decretado.

Em março, a Companhia Ituana de Saneamento – CIS lançou a campanha “A Água é de Todos e Cada Um Deve Fazer a Sua Parte”, com o objetivo de reduzir o consumo em 30% em todos os imóveis da cidade. Apesar da divulgação intensa e dos trabalhos da autarquia em preservar os mananciais de Itu, a meta não foi atingida até o momento.

No Distrito do Pirapitingui, por exemplo, o consumo cresceu em alguns dias. No último final de semana (21 e 22 de julho), a região gastou sete milhões de litros por dia. Um aumento de 25% em comparação a demanda média de 5,7 milhões de litros diários. “A CIS reduziu a pressão da água para abastecer os moradores do Distrito desde o dia 16 de julho, buscando a redução do consumo. Ao invés de diminuir, infelizmente o consumo cresceu”, pontua o superintendente da CIS, Vincent Menu.

A CIS e a Prefeitura de Itu estão em estado de alerta após constatar o avanço na utilização de água no Pirapitingui. Por isso, será intensificado o monitoramento do consumo na região e possíveis interrupções no abastecimento serão aplicadas em caso de gastos acima da média. A medida visa preservar os mananciais que abastecem o distrito.

Menu lembra que a gestão da CIS foi iniciada em fevereiro de 2017 e o abastecimento de água na Região do Pirapitingui foi melhorado com o aumento da vazão na Estação de Tratamento de Água do Hospital e a ETA no Portal do Éden. “Outras ações estão previstas. Vamos regularizar captação de água bruta em dois novos pontos e melhorar a eficiência da ETA do Hospital com fornecimento de mais energia elétrica, já pleiteado à empresa responsável pelo serviço na cidade. O desassoreamento da represa do São Miguel também será feito, mas grandes ações precisam de tempo para serem executadas” , finaliza o superintendente, reforçando o que sem a ajuda da população, o racionamento no distrito poderá ser iniciado em 15 dias.